Ferramenta de edição genética foi aprovada pela primeira vez para uso em humanos

23/06/2016 11:18:35

A ferramenta poderosa de edição genética que pode abrir caminho para a engenharia genética foi aprovada pela primeira vez para uso humano no combate ao câncer.

Cientistas vão usar a ferramenta chamada CRISPR cas-9 para modificar células do sistema imunológico. Desta forma, quando forem reintroduzidas no paciente, as células vão atacar as células cancerígenas responsáveis por mieloma, melanoma e sarcoma.

É bom ressaltar que esse experimento, proposto por cientistas da Universidade da Pensilvânia, nos EUA, é somático, o que significa que não consegue criar mudanças que podem ser passadas adiante para futuras gerações.

Ainda assim, a aprovação é um passo importante em direção a um debate bioético sobre o CRISPR e seus usos em potencial. Muitos dizem que a tecnologia nos possibilitará projetar bebês, e muito se debate os prós e contras de sermos capazes de projetar geneticamente nossas crianças.

É improvável que órgãos reguladores dos EUA permitam o uso amplo do CRISPR, mas nada impede que outros países o façam e para fins menos escrupulosos – pode ser até que certas partes do mundo usem isso para criar uma geração de crianças super inteligentes, o que não é um temor infundado considerando que cientistas chineses já editaram o genoma humano de um embrião, criando mudanças que podem ser herdadas por gerações futuras, mesmo que os embriões usados não fossem viáveis.

Então o CRISPR está em um campo minado ético e as preocupações não são tão infundadas como pode parecer em um primeiro momento. Mas, por enquanto, nenhuma mudança genética aconteceu e a aprovação vale só para o tratamento do câncer, o que pode ser algo realmente muito bom.

[Stat]

Imagem: Instituto McGovern de Pesquisa Cerebral/MIT

Fonte: Gizmodo

Tags: #Ciência #Genética